DELIM GÁS

DELIM GÁS

24 de novembro de 2015

Relatório mundial 2015 sobre a Educação foi lançado nesta terça-feira, 24

O relatório mundial Education at a Glance 2015: Panorama da Educação foi lançado nesta terça-feira, 24 de novembro. De acordo com o estudo, para os anos iniciais do ensino fundamental, cerca de 73% das despesas correntes são destinadas à remuneração de pessoal. Ainda assim, o Brasil tem remuneração de professores abaixo da média. Fica atrás de outros países latino-americanos, como Chile, Colômbia e México, em todos os níveis educacionais.

A média dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE),  é de 79%. De acordo com o relatório, a média de salário inicial para professores da pré-escola entre os países da OCDE é mais do que o dobro do que os professores ganham no Brasil e a diferença cresce nos níveis mais elevados de educação. Esse padrão observado também se repete nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio.

O salário da categoria é determinado com base na Lei 11.738/2008 do Piso, que estabelece o mínimo a ser pago aos professores com formação de nível médio, com jornada de 40 horas semanais. Ele é reajustado anualmente, e hoje está em R$ 1.917,78. No entanto, esse valor é menor do que o pago em outros países latino-americanos para todos os níveis educacionais, desde a pré-escola até o ensino médio.

Aplicação
Ao analisar o gasto anual por aluno, o valor de US$ 3.441, investido no Brasil também é inferior à média dos demais países, que é de US$ 5.876. Ainda assim, o relatório aponta aumento de gasto público em Educação no país, e sinaliza aparcela de recursos dedicada a área maior do que quase todos os países e parceiros da Organização.

O Education at a Glance 2015 é a principal fonte de informações comparáveis sobre a Educação no mundo. A publicação oferece dados sobre a estrutura, o financiamento e o desempenho de sistemas educacionais de 46 países: 34 países-membros da OCDE, alguns países parceiros e do Grupo dos 20 (G20).

Agência CNM, com informações da Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário