DELIM GÁS

DELIM GÁS

1 de janeiro de 2016

CNM defende aumento do piso dos professores de apenas 7,41%

Segundo a estimativa de receita do Fundeb realizada pela área técnica da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o reajuste do piso dos professores para 2016 deverá ser 7,41%. O percentual é menor do que os 11,36% calculados com base na receita estimada pelo governo federal, divulgada na Portaria Interministerial 8/2015.

"Não se trata de discutir o que é justo, e sim o que é possível ser pago com as receitas municipais", afirma Paulo Ziulkoski, presidente da CNM. "Com certeza, os professores merecem reajustes maiores, mas não se pode aceitar a manipulação de informações para gerar reajustes acima da capacidade de pagamento dos governos", conclui.

Por fim, lembra o presidente da Confederação que, embora a Lei de 2008 disponha sobre a complementação da União para integralização do pagamento do piso aos entes federados que não possam pagar com recursos próprios o valor nacional fixado, entre 2009 e 2015 não houve nenhum repasse de recurso federal para pagamento do piso nacional do magistério.

Nenhum comentário:

Postar um comentário