DELIM GÁS

DELIM GÁS

26 de janeiro de 2017

Cosern subsidia troca de motores elétricos de empresas potiguares

Quatro empresas instaladas no Rio Grande do Norte foram selecionadas pela Cosern para receber subsídios na troca de motores antigos por novos, mais eficientes e de melhor rendimento dentro do projeto Bônus Para Motores Eficientes.

O projeto, que integra o Programa de Eficiência Energética do Grupo Neoenergia, regulado pela Aneel, concede bônus que variam de R$ 244,00 a R$ 22.157,00. No total, a Cosern disponibilizou R$ 750 mil para o projeto com o objetivo de incentivar a economia de energia de empresas e indústrias.

Lançado em 15 de setembro de 2016, a iniciativa da Cosern atraiu o interesse de dez empresas potiguares. Depois de avaliados todos os critérios exigidos pelo programa, quatro delas foram selecionadas para receber o incentivo.

A Guararapes Confecções será a maior beneficiada pelo projeto, com bônus de R$ 373.206,00 para a troca de 145 motores. Juntas, as quatro empresas selecionadas vão ser responsáveis por uma redução estimada de 1.373,80 MWh/ano, o que equivale ao consumo de aproximadamente 830 residências.

Nos próximos dias, será firmado contrato entre a Cosern e as contempladas no projeto. A substituição dos motores elétricos deve ser feita no prazo de até cinco meses pelas quatro empresas. Com o término da execução da troca dos motores e apresentação dos documentos comprobatórios à Distribuidora, elas receberão o bônus preestabelecido, de acordo com a potência e classe de rendimento do motor.

Para evitar que os motores antigos sejam descartados de maneira incorreta ou reutilizados, os equipamentos substituídos deverão ser descartados por empresas especializadas, definidas pela Cosern, ou pelo fabricante do motor novo.

As características do Projeto

Conforme as regras técnicas do projeto, serão substituídos motores trifásicos, com potência entre 1 cv (cavalo-vapor) e 250 cv, fabricados até 2009. Todos os motores antigos a serem substituídos deverão estar em operação e possuir regime de funcionamento de, no mínimo, 3.000 horas/ano. Os motores novos trifásicos devem pertencer às classes de rendimento IR2 (alto rendimento) com Selo Procel ou IR3 (Premium). Ainda para os motores novos trifásicos, para determinadas faixas de potência e número de polos, é obrigatório que o motor seja etiquetado pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE).

Nenhum comentário:

Postar um comentário