DELIM GÁS

DELIM GÁS

17 de janeiro de 2017

Em congresso da CNTE, trabalhadores em educação deliberam por entrar em greve geral em março

Os mais de 2 mil trabalhadores/as em educação de todo o Brasil que participaram do 33º Congresso Nacional da CNTE, realizado entre os dias 12 e 15 de janeiro em Brasília, deliberaram por entrar em greve geral por tempo indeterminado a partir da segunda quinzena de março.

Esta é a primeira vez na história da Confederação que se delibera por entrar em greve geral por tempo indeterminado. A coordenadora geral do SINTE/RN, professora Fátima Cardoso, explica que no dia 08 de março serão realizadas assembleias com os trabalhadores em educação de todo o país, para definir o indicativo de greve para 15 de março: “Vamos precisar de todos e todas. Cada trabalhador em educação do RN já pode ir divulgando para os colegas e a todos. Vamos mobilizar a nossa categoria para termos a greve mais forte da história da educação nacional deste país”.


A greve, que será conduzida pela CNTE, deverá contar com o apoio e adesão de sindicatos da educação de todos os estados. Em breve a CNTE e o SINTE/RN divulgarão a agenda de lutas da greve. O movimento grevista terá como pauta a luta pela aplicação do reajuste do Piso Salarial Nacional e pelo fim ao golpe de Estado no Brasil e contra a Reforma da Previdência, reforma trabalhista, reforma no ensino médio, privatizações, lei da mordaça (Escola Sem Partido) e o congelamento dos gastos públicos nas próximas duas décadas. Cada estado poderá adicionar os seus eixos específicos de luta.

Segundo o presidente eleito da CNTE, Heleno Araújo, será formada uma coordenação de greve geral com a direção executiva da Confederação e um representante de cada sindicato filiado a entidade: “No dia 25 de março, iremos avaliar o movimento grevista. Entre o período de 27 e 31 de março, observaremos a movimentação das afiliadas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário