DELIM GÁS

DELIM GÁS

19 de julho de 2017

Seminário Agenda 2030 debate estratégias locais de articulação para avanço dos ODS

Com auditório movimento, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) dá continuidade ao Seminário Agenda 2030 com mais uma plenária. O foco desta vez foi discutir articulação territorial e a importância do envolvimento de diversos atores para favorecer a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O evento reúne gestores municipais, representantes de organizações sem fins lucrativos e do governo federal. E teve início com uma fala do assessor de projetos especiais da Presidência da República, Laurêncio Körbes.

Ele conduziu sua apresentação explicando a transição dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) para os ODS. “Vigentes para o período de 2000 a 2015, os ODM reuniam oito objetivos, 21 metas e 60 indicadores. Já os ODS são uma evolução, um aprimoramento dos ODM”, disse Körbes.

Lançados em 2015 pelas Nações Unidas, os ODS são mais ambiciosos e trazem 17 objetivos, diluídos em 169 metas e 241 indicadores. Eles irão conduzir as temáticas ligadas ao desenvolvimento sustentável até 2030, por esse motivo a agenda da qual eles fazem parte recebe o mesmo nome.


Atuação federal

O representante da presidência também comentou sobre a Comissão Nacional para os ODS e sua composição. O colegiado foi uma iniciativa do governo para dar andamento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil e a CNM é uma das entidades integrantes.

Em seguida, Körbes falou a respeito de um relatório que busca fazer um balanço de como o país está avançando na implementação dos ODS. O documento mensura o percentual de convergência entre as metas e os indicadores com o Plano Plurianual (PPA).

Ferramentas

Mais adiante, a coordenadora de advocacy da Agenda Pública, Flávia Pellegrino, trouxe uma ferramenta que pode auxiliar os gestores locais e demais atores a concretizarem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: a ODS Lab. Reforçou ainda o papel da Agenda 2030. “Não é uma nova agenda. Na verdade, é uma nova perspectiva para os desafios que a gente já tinha que enfrentar”.

Atuação municipal

O painel finalizou com uma fala do consultor da CNM, Santiago Gallo, destacando o protagonismo da Confederação em aproximar a Agenda 2030 dos Municípios brasileiros. “Acreditamos que só será possível alcançar os ODS se nos territórios houver governança, se houver um empoderamento dos Municípios. Eles precisam entender e se empoderar dessa ideia”.

Um dos destaques de sua fala foi a necessidade de articular os diversos setores no debate, já que os temas dos ODS são transversais. Gallo citou como exemplo o diálogo com os parlamentares, bem como articulação com organizações internacionais, visando firmar parcerias.

O Seminário seguiu com nova plenária sobre estratégias de desenvolvimento de capacidades municipais para implementar, monitorar e avaliar os ODS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário